Não tem como negar que ouvir música é muito bom e extremamente gratificante, não é mesmo? Dá para relaxar, se animar, se concentrar… os diferentes gêneros musicais despertam em nós diversos sentimentos. E isso começa lá na gravidez, quando ainda estamos sendo gerados.

Todo o desenvolvimento do bebê na barriga da mãe passa por vários períodos importantes e é justamente dentro do útero que ele começa a trabalhar alguns sentidos essenciais como a visão e a audição.

A partir da 20ª semana de gravidez o bebê já apresenta o sistema auditivo desenvolvido quase que por completo. Isso o torna capaz de identificar sons internos e externos. Lá dentro ele começa a identificar a mãe a falar e cantar. A voz dos pais fica gravada na memória das crianças desde essa época. E é justamente por isso que as crianças tendem a se acalmar ao ouvirem o pai ou a mãe depois de nascer.

O mesmo acontece com a música. Se a mãe ouve com frequência durante a gestação, ela faz com que o bebê, após o nascimento, reconheça e se acalme com as músicas. Para ficar mais claro o bem que a música faz para o bebê durante a gestação, listamos alguns benefícios que vão, a partir de agora, valorizar cada vez mais o que você ouve. Vem com a gente!

  1. Acalma o bebê após seu nascimento

As músicas que são ouvidas durante a gestação podem ser utilizadas como uma excelente ferramenta após o nascimento do bebê. Alguns especialistas indicam que as músicas mais ouvidas pelo neném dentro do ventre da mãe são reconhecidas pela criança no futuro. Dessa forma, após o nascimento, ao escutar e reconhecer a música, o bebê sente-se mais relaxado, confortável e seguro. Como consequência, fica mais fácil reduzir as suas cólicas, fazer com que ele durma melhor e descanse adequadamente.

  1. Cantar ajuda a aproximar os pais da criança

Não são somente as músicas gravadas em estúdio que são boas alternativas para estimular o desenvolvimento cerebral do seu filho: as músicas cantadas também influenciam bastante a criança que está por vir.

E o melhor de tudo é que, além de estimular, cantar para o bebê também é uma maneira de já ir inserindo o seu tom de voz na rotina da criança, aproximando significativamente a relação entre vocês. Além disso, a voz da mamãe deixa o bebê mais tranquilo e seguro, visto que ela é o primeiro tom reconhecido por ele.

E não é só a gestante que deve experimentar essa atividade: o pai também pode se aventurar nesse mix de estímulos sonoros e reconhecimento de vozes. Cantar para o seu neném pode ser uma experiência única, especialmente se ele corresponde com algum movimento dentro do útero.

  1. Escolha as músicas certas

Músicas clássicas, sons da natureza, canções infantis e até de ninar são boas opções para o bebê ouvir ainda na barriga da mãe e também depois do nascimento. Elas aumentam a atividade cerebral do bebê e fortalecem o vínculo. É importante lembrar, no entanto, que todos os sons devem agradar a mãe. Não adianta colocar música clássica só porque dizem que é bom. Se a gestante não gosta, não será benéfico, nem prazeroso.

Depois que o bebê nasce, é também por meio das músicas que ele começa a perceber um mundo cheio de possibilidades de novas palavras. Melodias e ritmos que são importantes para o desenvolvimento da fala, do aumento do vocabulário e também na articulação das palavras.

Esses benefícios não são conseguidos apenas com músicas infantis. É interessante apresentar para a garotada todo o tipo de canção. Vários tipos musicais, além de ampliar o repertório, favorecem novas possibilidades de gostos musicais para elas.

Gostou de aprender um pouco mais sobre a importância da música na gestação? Então, compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais e agende já uma aula experimental na Sol Maior! Te esperamos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 7 =